Confesso, sou fã do John Mayer! Gosto do estilo de música dele e também daquela voz suave… é tão bom ouvir. Como fã, tenho alguns CD’s, mas como uma fã desatualizada – se é que isso existe (risos) – não tenho os últimos e não conheço a maioria das músicas. Porém, há alguns dias, decidi entrar no YouTube e pesquisar uma playlist com as músicas novas e ficar ouvindo enquanto trabalhava. Em frente ao meu laptop e com fones de ouvido, fiquei fazendo que o que precisava fazer, com aquelas músicas novas em uma voz conhecida ao fundo. De repente uma frase, que após uma pesquisa vi que é o nome da canção, me chamou atenção: “Love is a verb”.

“Nossa, amor é um verbo’ é o nome da música do John Mayer?! Que massa! Sim, amor é um verbo! Concordo com essa afirmação e com suas implicações também. Preciso pesquisar a letra!”. Esses foram meus primeiros pensamentos. Parei de fazer o que eu estava fazendo e fui direto pesquisar a letra no google – o triste foi saber que estou mais desatualizada que imaginava sobre os últimos álbuns do JM (risos)!

Ao correr os meus olhos pelo site que trazia a letra da música, comecei a refletir sobre o amor e como a nossa sociedade o tem conceituado e praticado. E minha conclusão foi: amor é um verbo, mas não somente isso. Vamos pensar juntas!

Quantas vezes você disse que amava alguém e na prática, demonstrou isso? Pensar nisso, lembrou-me de muitas atitudes que já tive com meus pais, irmãos e amigos. Com a minha boca eu dizia que os amava, mas quando precisavam de algo que me exigisse atitude, eu fugia. Poderia ganhar um super prêmio de “grande autora de desculpas”, pois sempre tinha uma pronta na ponta da língua. Aqueles que estavam próximos repetidamente me confrontavam sobre isso e, não nego, sabia que estavam certos, porém, não fazia nada para mudar. E ainda hoje é uma luta. Eu só os amava em palavras. Signifca que não os amava? Não, eu os amava/amo, mas como eu disse, amor também é um verbo.

Segundo o dicionário Priberam[1], “verbo” é “palavra com a qual se afirma a exigência de uma ação”, ou seja, se amor é um verbo e verbo é a exigência de ação, logo amor é ação. Hoje em dia estamos ricos em palavras, mas pobres em atitudes.

Enquanto eu li a música do John Mayer, fiquei surpresa em ver que concordava com algumas afirmações ditas nela, e quero destacar duas:

(1)   “Amor não é uma coisa”. Realmente, amor não é uma coisa. “Coisa” é algo sem significado preciso, qualquer “coisa” pode ser uma “coisa”. Amar sua mãe não tem significado nenhum? E seu namorado/marido? Talvez para nossa sociedade, amor seja realmente uma “coisa” já que ninguém liga mais para seus pais, irmãos, amigos. Dizem “eu te amo” em palavras e acham que um cartão, ou beijos e amassos são demonstrações desse “tal amor”. Porém, quando há uma briga, ninguém cede, pelo contrário, ficam lutando para ver quem vai sair vencedor; casam-se, contudo, também se dirvorciam. Voltando para afirmação do John Mayer, quero que você pense: o amor tem sido uma “coisa” para você?

(2)  “Amor não é uma muleta”. Amor não é uma muleta, isto é, fuga. Ter um namorado não é uma muleta. E ter amigos? Também não! De quantos amigos você precisa para se sentir amada? Estar com eles e se sentir completa não é amor, é egoísmo, pois VOCÊ acha que precisa deles para que sua vida faça sentido. Adoro estar com meus amigos, mas o meu alerta é para a motivação em tê-los por perto. Não só amigos, mas namorados. Será que não são ídolos em seu coração? O que você tem feito em nome do amor? Essa atitude é um ídolo para você? Uma fuga?

Ao final da música, John Mayer escreveu:

“Então você tem que mostrar, mostrar, mostrar-meMostrar, mostrar, mostrar-me Mostrar, mostrar, mostrar-meQue o amor é um verbo…”

“Você tem que mostrar, mostrar, mostrar-me”. Já que o amor é um verbo, então é preciso mostrar! Mas acho que a nossa única atitude tem sido exigir isso dos outros. E nós? Exigimos o mesmo de nós? Quanto tempo você gasta exigindo dos seus pais/namorado/marido/amigos demonstração de amor? E quanto tempo gasta se esforçando para demonstrar amor ao próximo?

Vamos deixar de lado a música do John Mayer e vamos ver o que a Bíblia, único livro capaz de definir “amor ao próximo” como perfeição diz.

O que é o amor? A primeira parte de 1 João 3.16 diz: “Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós…”. Jesus é a maior demonstração de amor que já tivemos. Ele DEU SUA VIDA POR NÓS, pecadores que não merecíamos nada, senão a morte (cf. Rm 6.23). O versículo continua: Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos”. Jesus é o exemplo que precisamos seguir! Precisamos dar nossas vidas uns pelos outros.

Talvez você esteja se perguntando: “preciso morrer por alguém para demonstrar meu amor por ele?” Não. O apóstolo João explica: “Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade” (vv. 17, 18). Podemos demonstrar ajudando na necessidade do outro, orando por ele, cuidando, pregando a Palavra para que seja salvo, gastando tempo com ele e se eu continuar escrevendo vai ter uma lista interminável. E, pensando sobre “gastar tempo”, quanto tempo você gasta ouvindo sua mãe? E seu pai? E suas amigas? Ou é daquelas que enquanto conversa com alguém fica no celular olhando o Facebook, Whatsapp e outros aplicativos? Tenho certeza que ao final da conversa saberá o resumo do que foi falado, mas não saberá os detalhes. Você gostaria que sua amiga não soubesse detalhes daquilo que acabou de contar a ela? Muitas vezes nossas preferências pessoais – vida virtual, aparência física e busca de um futuro perfeito – são prioridades, contudo, quando Jesus resume a Lei, Ele diz: “Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças’. O segundo é este: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Não existe mandamento maior do que este” (cf. Mc 12.30-31). Ou seja, nossos desejos pessoais não deveriam estar em primeiro lugar em nossas vidas.

Amar com palavras e atitudes é obedecer a Deus. E obedecer a Deus é amá-lO: “Quem tem os meus mandamentos e lhes obedece, esse é o que me ama” (cf. João 14.21a). Você realmente ama a Deus?

Paul Tripp escreveu uma lista com 23 pontos que dizem o que é o amor. É muito legal, te incentivo a ler também, é só clicar aqui.

SEJA COERENTE COM SUAS PALAVRAS E AÇÕES: “LOVE IS A VERB” e isso até o John Mayer sabe!

[1] http://www.priberam.pt/dlpo/dicion%C3%A1rio